A IMPORTNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATGICO PARA INSTITUIES DO TERCEIRO SETOR

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA INSTITUIÇÕES DO TERCEIRO SETOR

Elencar e priorizar problemas é o segredo para sua instituição dar grandes passos

Pensando nas exigências advindas da globalização, é importante notar o quanto podemos aproveitar das técnicas de setores que se diferem das instituições do terceiro setor. O mercado vem se tornando cada vez mais instável e competitivo em todos os segmentos, e as instituições não escapam desta turbulência. Surge, então, a necessidade de repensarem suas posições neste meio competitivo, pois especialmente neste segmento, todas as ações são frutos de difíceis decisões a serem tomadas.

Com a liberdade e a possibilidade de adquirir novas ferramentas de gestão, pode-se dizer que as técnicas utilizadas pelas empresas de “mercado” se tornaram úteis para as empresas sem fins lucrativos também. Portanto, hoje, para desenvolverem suas próprias técnicas de auto sustentabilidade, as instituições necessitam do uso de novas técnicas administrativas, para que consigam cumprir com o seu papel. Uma dessas técnicas é o planejamento estratégico.

O uso do planejamento estratégico por instituições do terceiro setor contribui para que elas se adequem dentro de suas reais necessidades. Desta forma, quando o planejamento é usado de forma correta, pouco a pouco vai se construindo o método completo e ideal para a organização, e logo ficará cada vez mais fácil entender quais são os pontos negativos e positivos das atividades da instituição enquanto empresa. Dado este primeiro passo, as instituições consequentemente verão a redução do trabalho com atividades que não agregam valor para o seu crescimento.

Cada instituição deve ter ciência da liberdade que tem de adotar visões distintas em relação ao seu planejamento, mas todas devem passar pelas seguintes etapas na hora de planejar:

 

1º Passo: Onde estamos?

As pessoas responsáveis pelo planejamento precisam responder a duas perguntas muito importantes. A primeira delas é “Onde estamos? ”, que se refere a atual situação da instituição. Respondida esta questão, a próxima é “Estou preparado para sair de onde estou? ”. Essa última questão diz respeito à necessidade das melhorias, dos avanços pretendidos pela instituição. Caso a resposta seja positiva, é hora de começar a gerenciar este crescimento, incluindo dentro desta questão a criação de metas e a pauta dos objetivos.

Caso a resposta seja negativa, este é um sinal de que a instituição tem questões mais importantes a serem resolvidas antes de caminhar através de novos objetivos. É hora de lidar com problemas e questões que podem ser vitais para o futuro da sua instituição!

 

2º Passo: Análises, análises e análises!

Para obter uma visão geral da situação onde sua instituição se encontra e para onde você pode projetá-la, é necessário identificar quais são os pontos fracos e fortes, assim como as oportunidades e ameaças presentes na rotina da instituição. Um dos métodos usados para este tipo de análise é o FOFA.

FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças) é um método de análise que identifica os quatro pontos citados acima. Ele deve ser feito com pessoas que tenham um conhecimento maior sobre a instituição e que possam oferecer uma visão ampla dos pontos positivos e negativos dela.

SAIBA MAIS SOBRE COMO UTILIZAR A ANÁLISE FOFA

 

 3º Passo: Tomada de decisões!

Depois de realizada a análise, a instituição estará melhor preparada para definir qual a relevância e a prioridade de cada uma das suas necessidades.

Também é agora que o planejamento entra em ação no sentido amplo da palavra. É ele quem dará um direcionamento, e é esse direcionamento que deve ser seguido para que as necessidades encontradas sejam executadas de acordo com as prioridades. Desta forma, os resultados serão positivos e a sua instituição permanecerá melhorando progressivamente.

Mesmo que o planejamento não possa garantir a eficácia das ações planejadas, é através dele que a sua instituição começará a aumentar as chances de realizar ações bem-sucedidas, pois, planejar, antes de tudo, é pensar na instituição como um todo. Isso significa analisar onde ela se encontra agora e onde ela estará em breve. É possível dizer que existe um tipo de concorrência entre as instituições do Terceiro Setor, e quem acaba “vencendo” esta competição são as instituições que se destacam pela coerência e experiência em gestão adquiridas através dos planejamentos.

 

Usando o Programa de Parcerias como exemplo, é possível notar em nosso histórico que as ideias apoiadas pela Ação Social Cooperada vêm de instituições que procuraram encontrar soluções sustentáveis para captar recursos que irão servir para aperfeiçoar as atividades realizadas pela instituição e também seus processos administrativos e financeiros.

Pense que planejar é como usar um filtro, que irá categorizar de forma adequada os processos que precisam ser melhorados para que a sua instituição continue a realizar grandes feitos!

A Ação Social Cooperada junto a profissionais especializados nas necessidades do terceiro setor, desenvolveu uma ferramenta que pretende auxiliar nas questões necessárias para o processo deste tipo de planejamento. Confira o conteúdo em nossa galeria de vídeos!