Guia do bom voluntariado II: Qual a paixo que te move?

Guia do bom voluntariado II: Qual a paixão que te move?

Tempo, boa vontade, empatia. Cada um tem uma dica, mas todas levam ao mesmo objetivo: apoiar o próximo.

            Já virou tradição aqui no blog. Quando um voluntário chega para nos inspirar com sua história, começamos com a famosa pergunta: O que faz de uma pessoa, um bom voluntário?

            As respostas variam muito, mas todas levam a um mesmo caminho: é necessário ter amor e empenho por uma causa. Desde 2005, a Ação Social Cooperada, união dos Fundos de Investimento Social da Credicitrus e da Coopercitrus se pauta na parceria com o terceiro setor para apoiar seus projetos refletindo o impacto social na vida dos atendidos.

            Nosso trabalho, embora mais técnico, é permeado por pessoas que compartilham de diversos ideais e milhares de paixões. Por isso, nesta edição do Guia do Bom Voluntariado, chamamos para perto os nossos colaboradores e suas mais recentes histórias de voluntariado no blog para falar. Cada um, do seu jeito, nos presenteia com dicas valiosas que, se não se encaixam exatamente em nossos ideais particulares, nos incentivam a procurar quais paixões que nos move.

De coração para coração

A Gislaine Papassidro, gerente de negócios da Credicitrus de Taquaritinga acredita que a emoção que nasce no coração é essencial para um trabalho voluntário bem feito.  Isto está refletido no projeto social que ela e os amigos realizam em uma comunidade carente da cidade: “O trabalho voluntário precisa de coração aberto, sensibilidade para perceber o sofrimento do outros”.

Muitas vezes, por conta da correria da rotina, esquecemos de perceber que quem caminha ao nosso lado tem necessidades que o impedem de ser feliz. Por isso, ser um cidadão consciente na sua comunidade ajuda a torná-la cada vez mais justa e realizada em suas ansiedades.

Horinhas de cuidado

O Gilberto Tadeu é gerente de unidade da Credicitrus e voluntário no Abrigo de Viúvas da Maçonaria União e Trabalho, ambos localizados em Viradouro. O trabalho que o Gilberto realiza conjuntamente aos irmãos maçons é tão amplo e imensurável onde afirma que para o trabalho voluntário, a receita é bem simples e leva somente dois ingredientes: tempo e boa vontade.

“Temos que ter consciência de que o nosso tempo, é a gente quem faz e ajusta. Já a boa vontade, é um dom que nasce com a gente e vai crescendo de acordo com o nosso empenho e a receptividade do outro”, afirma, emocionado.

Obrigação de se dedicar ao outro

O Guilherme Mateus é gerente de negócios de pessoas jurídicas na Credicitrus de Bebedouro e, mais do que ninguém, sabe da importância do trabalho voluntário. Isso porque este jovem, embora hoje esteja presidente da instituição Artsol, iniciou nesta instituição como atendido.

“Vivi as duas perspectivas do trabalho voluntário, ajudando e recebendo ajuda. Por isso, acredito que todo o ser humano tem que ter um tempo para se dedicar ao outro. É exatamente isso que faz a gente ser mais humano. Ajudar não é fácil, mas é essencial e agrega na vida do outro”.

Gesto de amor

Para o gerente de unidade da Credicitrus de José Bonifácio, Paulo Procópio Pinto que atua como presidente da APAE da cidade enfatiza que o voluntariado é um gesto de amor ao próximo: “É o meio pelo qual podemos ajudar uns aos outros a construir uma sociedade melhor. Isso é amor puro”.

Boas ideias, boa vontade

Por fim, o gerente de negócios de pessoas jurídicas na Credicitrus de Fernandópolis, Anderson Zanette que diferente dos voluntários acima, aposta nas ideias para transformar a vida das instituições do terceiro setor. Para ele, ter boa vontade e buscar apoiar boas iniciativas se reflete em um bom trabalho voluntário: “E também, iniciativas como da Ação Social Cooperada, que acolhe a ideia e oferece a estrutura para a instituição brilhar”.

Anotou as dicas e se permitiu inspirar? Agora, chegou o momento de transformar nossos desejos de mudar o mundo em prática. Não se esqueça: embora existam várias dicas, a fórmula depende somente de você e da forma com que você quer transformar o mundo, a comunidade ou a instituição perto da sua casa.  Reúna o que há de melhor em você e mãos à obra. E, se quiser começar daqui mesmo, do blog, mande este link para uma instituição. Um gesto pequeno, mas o início de uma grande transformação.