O Anderson tem mais que boa vontade, tem boas ideias

O Anderson tem mais que boa vontade, tem boas ideias

Nosso voluntário-inspiração de hoje adora incentivar as instituições. Vem conhecer!

         Sempre conversamos aqui no blog sobre não existir uma fórmula secreta para ser voluntário. Basta disponibilizar suas habilidades para transformar a realidade do próximo e isso pode ser feito de várias maneiras. O Anderson Zanette é o nosso exemplo de voluntariado de hoje por oferecer a sua criatividade às instituições de Fernandópolis, no interior de São Paulo.

            Anderson é gerente de negócios de pessoas jurídicas na Credicitrus de Fernandópolis e, desde 2014 se envolveu com as práticas sociais por incentivo da própria cooperativa: “O gerente que entrou na época propôs promovermos a questão social e ficou sob minha responsabilidade, cuidar das ações que desenvolveríamos”.

            E, desde então, ele não desgrudou mais das causas. Após se envolver com instituições rurais, Anderson se deparou – e se encontrou – com o projeto Os Sonhadores, apoiado pela Ação Social Cooperada e condecorado com o Reconhecimento SustentaHabilidades.

            “Eu abracei a causa de verdade. Varria chão, ajudava na preparação de cachorros quentes e tudo mais! ”. Mas o que ele gostava mesmo – e o que o faz nossa inspiração – é fomentar ideias das mais variadas: “Com a rotina, fui observando o que poderia ser melhorado e comecei a correr atrás das mudanças. Foi nessa época que, juntos, conseguimos levantar alguns pequenos investimentos e nos tornamos uma das instituições apoiadas pela Ação Social Cooperada”.

            A partir dessas atitudes, Anderson ficou com mais vontade de atuar no terceiro setor e começou a fazer amizades e propor ideias em outras instituições da cidade. Além disso, ele também leva informações sobre o funcionamento da Ação Social Cooperada, incentivando as organizações a se tornarem parceiras: “Hoje, sou voluntário também na APADAF (Associação dos Pais e Amigos do Deficiente Auditivo), no CAEFA (Centro de Apoio à Educação e Formação do Adolescente) e também na APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). Eu percebo que as instituições têm boa vontade, mas tem pouco apoio e acesso. Há caminhos mais inteligentes para resolver problemas, e juntos, podemos transformar a vida das pessoas”.

            Como dica para o nosso Guia do Bom Voluntariado, ele realça: “Boa vontade e boas ideias são essenciais em um bom voluntário. E também, iniciativas como da Ação Social Cooperada, que oferece a estrutura para a instituição brilhar”.

            As instituições precisam de visibilidade para que a comunidade saiba da sua importância. E somente com o nosso empenho isso pode se tornar possível. Muito além de divulgar as iniciativas, podemos ajudar oferecendo nosso trabalho voluntário para suprir as demandas que, muitas vezes, existem pela falta de incentivo. Vamos nos tornar incentivadores de grandes ideias. Seja voluntário em uma instituição da sua cidade!