AO SOCIAL COOPERADA DAR APOIO FINANCEIRO A 97 PROJETOS EM 2018

AÇÃO SOCIAL COOPERADA DARÁ APOIO FINANCEIRO A 97 PROJETOS EM 2018

A Ação Social Cooperada, que reúne os Fundos de Investimento Social da Credicitrus e da Coopercitrus, está divulgando nesta segunda-feira (30) a relação das entidades cujos projetos foram aprovados e receberão apoio financeiro total ou parcial em 2018. São 97 iniciativas de igual número de entidades do terceiro setor, sediadas em 43 municípios de São Paulo e Minas Gerais, mais de R$ 1.7 milhão será investido. Esse montante, pela primeira vez, engloba recursos da Coperfam, cooperativa de agricultores familiares vinculada à Coopercitrus.

A relação das entidades contempladas está disponível em nosso site. Em breve, serão divulgadas as datas das cerimônias regionais de entrega dos recursos aos dirigentes dessas instituições, com a participação de colaboradores das cooperativas.

Critérios rigorosos

Para que os recursos dos cooperados tenham a melhor destinação possível, a Ação Social Cooperada cumpre uma série de exigências. Somente são elegíveis a receber apoio organizações da sociedade civil com reconhecida utilidade pública, em dia com as obrigações legais, que atuem nas áreas educacional, assistencial e cooperativista e beneficiem crianças e jovens vulneráveis e em situação de risco das áreas menos assistidas das comunidades em que as duas cooperativas estão presentes, além de idosos e pessoas com necessidades especiais, igualmente carentes de recursos.

É vedado o apoio a órgãos públicos, já amparados por tributos; partidos políticos, movimentos sociais e igrejas de quaisquer credos, dada a completa neutralidade ideológica e religiosa das cooperativas; escolas particulares e empresas privadas, pois têm fins lucrativos; e pessoas físicas. Porém, projetos de entidades com fundo religioso podem ser apoiados, da mesma forma que iniciativas de escolas públicas, desde que por intermédio de suas Associações de Pais e Mestres. As regras completas podem ser consultadas aqui.

Todas as entidades, antes de submeter seus projetos, devem cadastrar-se e, caso suas solicitações sejam aprovadas, são obrigadas a apresentar uma série de documentos. Além disso, assinam um termo de compromisso, definindo como o dinheiro recebido deverá ser aplicado. A avaliação dos projetos é feita por um Conselho Gestor, composto por funcionários experientes designados pelos Conselhos de Administração das duas cooperativas. E todas as movimentações financeiras são monitoradas por auditorias internas e externas.

 A Ação Social atua desde 2006 e, até o final de 2017, investiu mais de R$ 15,5 milhões em projetos sociais de mais de 200 entidades de aproximadamente 80 municípios.