O Celso, a Cristiane e o Cooperativismo

O Celso, a Cristiane e o Cooperativismo

Anteriormente, falamos aqui no blog sobre o Caio, de Bebedouro, SP, colaborador da Sicoob Credicitrus, que realiza trabalhos voluntários com instituições do município junto aos amigos da igreja que frequenta, e do Khalil, uma das milhares de pessoas que viram a sua vida ser transformada por meio das oportunidades que surgem através de iniciativas de responsabilidade social, tanto no trabalho de instituições quanto das cooperativas.

Hoje vamos apresentar a vocês a Cristiane Aparecida Ribeiro e o Celso José da Silva, ambos colaboradores da Coopercitrus. Os dois também fazem ações nas comunidades onde estão presentes e bateram um papo com a gente para contar um pouco sobre as atividades que realizam e toda a motivação que faz com que sejam ativos em uma causa tão nobre, que é o trabalho voluntário.

O Celso tem 59 anos, é casado com a Lucília, mora em Limeira, SP, é formado em agronomia com especialização na área de solos e nutrição de plantas e na área de agronegócio. Ele trabalha há 28 anos na Coopercitrus e sua função atualmente é dentro do departamento de tecnologia agrícola como consultor técnico de citros.

Fazendo a sua parte, a Coopercitrus também cumpre com os 7 valores cooperativistas, sendo um deles o de “Interesse pela Comunidade”, que representa o trabalho das cooperativas nas comunidades, que detém a responsabilidade de desenvolverem de forma sustentável as regiões onde atuam, através de políticas aprovadas por todos os cooperados. No caso da Coopercitrus, estamos falando da Ação Social Cooperada, que é formada pelos fundos de investimento social da Credicitrus e da Coopercitrus.

Foi através de atividades relacionadas a este valor cooperativista que o Celso deu início às suas ações voluntarias. Ele, que participa destas atividades há cerca de 12 anos, diz que “no início, foi para cumprir uma tarefa solicitada pela Coopercitrus, mas a partir do instante em que eu iniciei a executar e entender, aí foi tomando forma e gosto, e a cada ano, a satisfação é muito grandiosa”.

A ação da qual o Celso participa faz a diferença na vida de crianças e jovens todos os anos em uma época muito especial. Na EMEIEF Tenente Aviador Ary Gomes Castro, uma escola rural localizada em Limeira, o Celso participa do Natal Solidário, e todos os anos é o responsável por elencar alguém que vista a roupa e capuz vermelho, para representar o querido e bom Papai Noel para as crianças da escola, enquanto ele supervisiona e auxilia todas as atividades no evento. Neste projeto, apesar das guloseimas, o presente principal são os livros que a Ação Social Cooperada doa à instituição, solicitados anualmente pelo Celso. Segundo ele, enquanto oferece essa motivação às crianças para que elas amadureçam e criem interesse pela literatura, ele renova as energias para estar ali novamente no próximo ano, completamente motivado para fazer a diferença na vida de mais pessoas.

(Uma das atentidas da escola com o Papai Noel durante evento de fim de ano. Foto: Arquivo Pessoal)

Já a Cristiane, de 45 anos, trabalha há 6 como assistente fiscal na unidade da Coopercitrus de Bebedouro, mas já é colaboradora da cooperativa há 14 anos. A sua história com o trabalho voluntário vem desde quando era uma pequena garota, que acompanhava a mãe Adail até a Vila Vicentina, onde a mesma também fazia ações em prol do próximo.

“Minha mãe sempre foi voluntária da Vila Vicentina e desde pequena, sempre a acompanhei onde até hoje, faço minhas visitas aos “vovozinhos”, ajudo nos eventos promovidos pela entidade e já participei das comunidades internas da Vila Vicentina, para busca de donativos e verbas para a entidade”, diz. Atualmente, além de realizar ações na Vila Vicentina, Cristiane também participa do Movimento da Pastoral Litúrgica da Paróquia de Nossa Senhora da Aparecida, como comentarista e leitora, e também já participou do antigo grupo da Paróquia Fraternidade 2000, que levava cestas básicas a famílias de Bebedouro e também o ensinamento religioso.

As atividades realizadas pela Cristiane são costumeiramente aos finais de semana, e ela diz que tenta encaixar as ações nos dias em que tem um tempo livre, fora do horário de trabalho, por exemplo. Mas, mesmo enquanto está no trabalho, sente que está se beneficiando de algo e que pode beneficiar outras pessoas. “Através do trabalho na Coopercitrus conheci muitas pessoas, aprendi a viver ainda mais para servir, pois como o lema de toda Cooperativa é o engajamento e o trabalho cooperativo, ajudando sempre as pessoas que trabalham conosco, partilhando daquilo que somos, o que temos e o que sabemos com as pessoas que convivem conosco, procuro colocar isso em prática”, ressalta.

(Cristiane durante Ação Voluntária. Foto: Aqrvuivo Pessoal)

Toda a dedicação de Cristiane não termina por aqui. Ela, que também é formada em Educação Física, já utilizou do seu conhecimento quando foi convidada para ser a animadora de três edições da Caminhada Pense Rosa (em 2014, 2015 e 2016), que é realizada no mês de março, dedicada às mulheres, e também neste mesmo período, participou de caminhadas do “Direito de Viver”, feita em prol do Hospital do Câncer de Barretos.

Cristiane ainda não se relaciona com nenhum dos projetos apoiados pela Ação Social Cooperada, mas diz estar disposta a colaborar com o que for possível. Dentro do que já realizou durante este tempo, diz que sempre recebe um retorno positivo do que faz, ouvindo pessoas dizendo a ela coisas como “A sua presença torna a gente mais feliz”.

Cristiane e Celso são conectados pelo exercício diário de colaborar com a mesma cooperativa em diferentes municípios, mas, como pudemos ver, mesmo distantes, ambos acreditam no poder de suas ações da mesma forma. E, assim como os dois, você também pode deter a responsabilidade de ajudar o próximo e tornar as pessoas mais felizes. Como? Existem muitas maneiras, mas o que importa mesmo é estar disposto a oferecer o que há de melhor em você!