8 instituições foram apoiadas em São Manuel em 2017

06/07/2018

Há 12 anos atuando em prol da responsabilidade social das comunidades, as cooperativas Credicitrus e Coopercitrus, por meio de seus respectivos Fundos de Investimento Social, denominado como Ação Social Cooperada, já investiram mais de R$15,5 milhões em projetos de mais de 200 instituições concentradas em mais de 80 municípios do Estado de São Paulo e Minas Gerais.

No município paulista de São Manuel, 8 instituições foram contempladas com o apoio da Ação Social Cooperada em projetos durante o ano de 2017, nos segmentos assistencial, cultural e socioeducativo. As instituições apoiadas foram a Associação de Pais e Amigos de São Manuel, Associação dos Amigos da Pousada da Colina, Casa Santa Maria, Centro Social São Manuel, Grupo de Assistência às Pessoas com Câncer de São Manuel, Instituição Assistencial Maria de Nazareth, Lar Anália Franco de São Manuel e a Vila Vicentina.

O intuito das entidades se baseia na contribuição para a qualidade de vida, a valorização humana e a inclusão social de membros pertencentes a comunidades carentes, utilizando de premissas sustentáveis para oferecer o bem-estar aos seus atendidos.

Fomos até São Manuel conferir o andamento dos projetos e aproveitamos para conversar com pessoas envolvidas e beneficiadas pelo Lar Anália Franco e no Grupo de Assistência às Pessoas com Câncer de São Manuel.

No Lar Anália Franco, o projeto apoiado foi o “Transformando Vidas” que visou a estruturação da sala de atendimento técnico, onde foram adquiridos materiais específicos para oferecer uma melhor assistência na área psicológica, com o objetivo de aprimorar as ações relacionadas ao cotidiano das crianças e dos adolescentes assistidos em um dos  3 projetos fixos das instituição, que é o projeto “Clélia Rocha”, uma casa de acolhimento à crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Além deste projeto, na instituição também existe o projeto “Célia Zenir”, que oferece um serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo para Adolescentes e Idosos, e o “Recanto Alice Araújo”, que é um Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Familiares e Comunitários. Os 3 projetos estão estruturados dentro do Lar Anália Franco e atendem ao todo cerca de 460 famílias, colocando à disposição de seus assistidos profissionais da psicologia, cozinheiros, professores e educadores e oficineiros, dando assistência e cumprindo com o seu papel de atender a comunidade onde está localizada.

(Atendidos do Lar Anália Franco durante momento de recreação)

Uma das assistidas pelo Lar Anália Franco por meio do projeto “Recanto Alice Araújo” é a Maria Paula, 13, que frequenta o projeto há cerca de 3 anos. Ela, que divide os dias entre estudar e ir ao projeto, diz que ama o fato de poder estar lá todos os dias e, diferente da escola, sente que recebe mais atenção dos professores e inclusive da psicóloga, com quem ela pode se abrir e conversar. Maria diz que ali “é o melhor lugar” para se estar, pois aprende muito, está envolvida diariamente com os amigos nas atividades propostas pelos professores e que a sua atividade favorita é a capoeira. Ela e os amigos ressaltam que também amam a comida de lá, que é feita com muito carinho pelas cozinheiras.

(Maria Paula, uma das adolescentes atendidas pelo Lar Anália Franco)

No Grupo de Assistência às Pessoas com Câncer de São Manuel, os recursos das cooperativas foram destinados ao projeto “Prosperar”, que possibilitou a ampliação da fábrica de personalizados da instituição, que produz chinelos, canecas, camisetas e aventais com o apoio de voluntárias e também de seus assistidos, que utilizam a atividade como forma de terapia para elevar a autoestima, já que muitos, ao serem diagnosticados, passam a se sentir desvalorizados e dispensáveis devido ao estado sensível em que se encontram devido ao tratamento e à própria doença.

A Vânia, 38, é a psicóloga da instituição, que realiza um trabalho de convivência e fortalecimento de vínculo com estes pacientes e ressalta que, mesmo que o apoio da Ação Social Cooperada seja através de recursos financeiros, este fortalecimento colabora principalmente para a parte emocional dos assistidos.

Atualmente, a ampliação do projeto colabora para que a instituição consiga cobrir despesas com a venda de itens personalizados que vão desde o pedido de apenas um par de chinelos até grandes encomendas. Junto a isso, no projeto Cozinha Solidária, também apoiado pela Ação Social Cooperada, os assistidos são os responsáveis pela produção de nhoque todas às terças-feiras e que são um sucesso de vendas. Essa atividade ajuda a instituição, mas, principalmente, oferece aos assistidos novas maneiras de gerar renda. Vânia ressalta que muitas das mulheres que vão à instituição replicam em casa o que aprenderam por lá, e desta forma conseguem se manter com esta renda.

(Produtos personalizados feitos pelo Grupo de Voluntários)

Responsabilidade Social

É de extrema importância que os cidadãos entendam a relevância da contribuição, não necessariamente com dinheiro, mas com tempo, compartilhamento de conhecimento e prestação de serviços dos mais variados, para que essas instituições dos municípios onde estão localizadas possam seguir em frente com o valioso trabalho de atender aos que necessitam de apoio.

O suporte oferecido pela Ação Social Cooperada funciona como um incentivo para a execução de projetos específicos, porém não cobre todas as necessidades das entidades apoiadas. Por isso, é muito importante que você também faça a sua parte!