COMO FAZER O USO DE TÉCNICAS E METODOLOGIAS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS

02/02/2018

O investimento em empreendimentos sociais, na maioria das vezes, surge após um olhar crítico para as necessidades de determinada comunidade. Esse mesmo olhar crítico, quando engajado, começa a pensar em recursos capazes de minimizar os problemas analisados naquele ambiente, e então começa a ser o percursor de ações voltadas a estas problemáticas, de forma voluntária.

Envolver-se com a temática do problema faz com que surjam vários planos de ações que podem fazer uma grande diferença naquela comunidade, entretanto, fazer com que outras pessoas se interessem por essas ações pode não ser uma tarefa fácil.

A captação de recursos é uma das maiores bases para a estruturação deste tipo de empreendimento, porém, o que deveria ser algo simples e parte da rotina de empreendimentos sociais, pode tronar-se algo difícil com a falta de planejamento na hora da elaboração de um projeto para estes fins. Ter ideias para um projeto de captação de recursos é fácil, mas se esta ideia não for bem elaborada, pode tornar-se uma grande falha.

Para que um Projeto seja elaborado da maneira correta, primeiramente precisamos entender que um projeto é feito para resolver um problema, e para que haja a resolução deste problema, precisamos criar indagações em torno das nossas causas.

Para facilitar este entendimento, aqui vão alguns passos que você deve seguir na execução do seu projeto:

1: Identifique o seu principal problema, e em seguida, os pontos negativos que causam este problema que você quer resolver. É basicamente como procurar por problemas existentes dentro do seu problema! A partir dessa análise você compreende quais os efeitos causados pelo principal problema e consegue ter dimensões melhores sobre qual é o seu maior desafio e quais serão os seus objetivos para a resolução deste tema. Perceba que aqui é necessário analisar a questão de forma ampla para depois reduzi-la durante o processo.

2: Tendo feito esta primeira análise, agora é hora de pensar nos objetivos do seu projeto. Eles devem ser vistos como o oposto dos problemas, ou seja, precisa transformar o problema encontrado em coisas positivas, transformar em soluções. Um exemplo:

Problema: A instituição não está tendo comida suficiente para alimentar todas as crianças;

Solução: Ter comida para alimentar todas as crianças da instituição.

A solução pode parecer uma resposta óbvia, mas, somente através dessas respostas começaremos a pensar nas intervenções necessárias para atender todas as necessidades para a resolução do problema.

3: Com os objetivos definidos, o próximo passo é criar um Cronograma de Ações.

O Cronograma de Ações serve como uma ferramenta para delimitar o tempo que será usado em cada processo para a execução do seu projeto. Através dele você distribui o projeto em etapas e determina a duração para executar cada uma das atividades.

Quando for montar o seu cronograma, adicione o mês 0 (zero). Ele servirá para a etapa do seu Pré-Projeto, que é onde acontecem as análises diagnósticas que citamos mais acima.

Nos meses seguintes você divide o projeto em duas etapas:

Na Etapa de Desenvolvimento, é onde você fará toda a parte escrita do projeto que será enviado para a Ação Social Cooperada. Lembre-se de que ele precisa estar com os objetivos claros, para que o Conselho Gestor seja capaz de entender qual é a necessidade que seu projeto vai atender. Uma comunicação clara e eficaz são pontos a favor da instituição na hora da liberação dos recursos.

Etapa de Implantação ocorre após a liberação dos recursos da Ação Social Cooperada para a instituição. É nesta etapa que você irá se programar para começar a executar as ações para que o seu projeto finalmente comece a tomar forma e possa ser concluído dentro do prazo estabelecido.

4: É somente através de um Orçamento detalhado que você terá noção da quantidade de recursos necessários para executar o seu projeto sem falhas. Quando for orçar as aquisições, preocupe-se em fornecer o maior número possível de informações técnicas sobre o que é necessário ser adquirido. Quanto mais detalhes, mais fácil interpretar as opções que melhor caberão dentro de suas necessidades. Desta forma você evita um possível desperdício de recursos, não adquire além do necessário e também evita que algo passe despercebido aos olhos e faça falta futuramente.

5: Na hora de traduzir as informações que você desenvolveu para a elaboração do seu projeto, essas são as informações que não podem faltar:

Dados da Entidade: Cite as informações básicas sobre a entidade, como o histórico, os responsáveis e a missão, visão e valor.

Dados do Projeto: Explane sobre o objetivo central do projeto e os objetivos específicos. Justifique a importância e a necessidade do projeto, pensando no que causam os problemas e quais são os efeitos deles. Complemente essa parte com bibliografia que trate a respeito do tema, para dar um embasamento técnico/científico ao projeto. Faça um indicador de qual será o número de pessoas impactadas direta e indiretamente pelo projeto.

Metas: Explane sobre os resultados esperados e detalhe quem será a equipe envolvida diretamente no projeto. Também elabore uma planilha indicando quais serão os gastos necessários para a realização dele. Nas metas você também explica sobre os prazos de execução do projeto! Aqui você insere o cronograma com as etapas de execução já bem definidas.

Ainda sobre as metas, quais são as metas estabelecidas pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável(ODS) que serão contempladas em seu projeto? Todo projeto social tem atividades desenvolvidas ligadas ao ODS, basta entender quais ODS serão contemplados direta ou indiretamente em seu projeto.

Veja mais detalhes sobre a ODS clicando aqui!

Sustentabilidade: Um projeto social deve sempre procurar ser sustentável, portanto procure explicar como a entidade pretende dar continuidade ao projeto e quais podem ser as possíveis extensões e melhorias que podem ocorrer posteriormente. Fale também sobre como será o método de avaliação da instituição para concluir se o projeto realmente cumpriu com os objetivos ou não.

Se elas existirem, fale sobre as possibilidades de o projeto ser um captador de recursos para a instituição, e de que forma isso ocorrerá. Ter um projeto captador de recursos é a garantia de sustentabilidade financeira para a instituição!

Referências Bibliográficas: Liste quais foram as suas fontes de consulta para a elaboração da escrita do projeto. As referências bibliográficas darão valor científico à sua escrita, o que representa que as informações passadas para nós, realmente foram consultadas, portanto, têm fundamento.

Confira na íntegra a palestra Metodologia e Técnicas para a Elaboração de Projetos, ministrada por Mayara Carrasco, do Instituto ALARME, no seminário de Sustenta Habilidades da Ação Social, em nossa galeria de vídeos.

Lembre-se: o projeto precisa estar alinhado com a missão, visão e valor da sua instituição, e deve ter informações consistentes, que demonstrem uma boa organização das ideias e deixem o mínimo de dúvidas possíveis.