É preciso saber… como o diálogo é importante

02/05/2019

O nome do projeto de comunicação do CAPE é uma ótima  inspiração para nossas atitudes. Vem conhecer!

            Uma das ferramentas de engajamento e transformação social é aquela que temos falado por aqui no blog: a comunicação. Toda vez que temos uma ideia ou quando nos deparamos com um problema e verbalizamos isso, milhares de possibilidades se abrem e, com elas, vêm as soluções.

            Fomentamos este tipo de diálogo de diversas formas aqui na Ação Social Cooperada, iniciativa da Credicitrus e da Coopercitrus. Seja através do nosso grupo Partilhar.com ou pelas dicas para construir uma comunicação eficiente, e até mesmo quando contamos histórias inspiradoras. A instituição que conhecemos hoje é uma mistura de tudo isso: A Casa de Apoio Projeto Esperança, de Lençóis Paulista, apoiada pela Ação Social Cooperada na compra de equipamentos de academia, que idealizou o projeto É Preciso Saber!

            O pastor Ricardo Santos, responsável pela instituição, conta que a ideia surgiu e começou em junho de 2018, já com o apoio e aprovação dos órgãos municipais, incluindo o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

            “Percebemos como é difícil para os nossos atendidos se livrar da dependência química e decidimos agir no início de tudo, na conscientização das crianças e adolescentes. Sugerimos ao Conselho, à Câmara e à administração municipal, que aprovou com unanimidade e já nos financiou”.

            O É Preciso Saber! vai muito além de palestras em escolas – este nem é o foco. A abordagem acontece nas mídias sociais, através de séries de vídeos sobre diversos temas. De junho de 2018 a março de 2019 – a primeira temporada do projeto – foram publicados 24 episódios, 12 reportagens especiais e 12 entrevistas com diversos personagens.

            “Não falamos somente sobre não usar drogas, mas também sobre a fase da adolescência, conflitos, legislações e diversas personalidades da nossa cidade. É um conteúdo dinâmico para fazer as crianças e adolescentes se interessarem pelos assuntos e dialogarem sobre”, explica o pastor.

            A estratégia da instituição de estar na internet onde o público-alvo está, vem gerando resultados positivos: mais de 20 mil acessos no Facebook e 6 mil acessos entre o site e o canal no Youtube.

            “Nosso único contato cara a cara com o pessoal é nas escolas e nas ações de rua, quando entregamos um marca livro e um cartão-semente que induzem ao site. Neste momento, tentamos fazer diferente para manter todo mundo interessado, como no Recreio da Balada, que levamos músicas legais para o intervalo das escolas e, depois, os convidamos para conversar em sala de aula”.

            O pastor explica que o sucesso da primeira temporada já está resultando em uma segunda etapa, com a participação mais efetiva das crianças e adolescentes: “Percebemos que o acesso ao álcool e às drogas é muito fácil e atinge os adolescentes cada vez mais cedo. Com isso, já estamos planejando essa segunda temporada com mais envolvimento do pessoal, assim: vamos produzir vídeos que focam no protagonismo jovem, oferecer este material para as escolas que em sala de aula, poderão apresentar o conteúdo, discutir e, se quiserem, falar em vídeo para publicarmos em nossas redes sociais. O projeto já foi aprovado pelo Conselho Municipal e está em votação na Câmara. Estamos otimistas”.

            Embora o objetivo da Casa de Apoio Projeto Esperança seja atender – e dar esperança! – a pessoa já em estado de dependência, atuar na prevenção é uma forma de possibilitar novos futuros e mais conhecimento às gerações mais novas.

            “Nosso objetivo, enquanto instituição, é mostrar para as pessoas com dependência química que eles têm possibilidade de serem livres e de terem uma vida da forma como sonharam. A abordagem com as crianças e adolescentes mostra que, desde já, eles podem tudo isso, sem medo, e com o apoio de todos”.

            Estar em sintonia com a comunidade e apoiar o crescimento mútuo é uma atitude que faz parte de quem somos e devemos exercitar cada vez mais. Faça parte da mudança social da forma que for possível para você, seja propondo e atuando em projetos da sua comunidade ou apoiando e fomentando as iniciativas que você mais se identifica. Faça a diferença na vida das pessoas. E conte com nosso apoio nessa jornada!