UMA IDEIA, UM PROJETO

15/12/2017

Por João Gabriel F. Manzi; coordenador de Relações Institucionais da Escola Casa das Mangueiras de Ribeirão Preto.

Há uma diferença entre um conjunto de atividades, por mais bem-intencionadas que sejam, e uma proposta de intervenção bem estruturada, que se comprometa com mudanças. Aliás a mudança é a principal motivadora do projeto. Precisa-se ter claro qual a situação que encontramos hoje e qual a situação que queremos após o projeto, ou seja, seu impacto. A diminuição de algum problema, a eliminação de uma situação, a elevação de acesso a alguma coisa, entre outras. Esta mudança é o que motiva a elaboração de projetos sociais e isto vem antes de se pensar quaisquer conceitos como metas, indicadores, metodologias, etc.
Um projeto social surge em resposta a problemas concretos, identificados por pessoas que se incomodam com eles. Se não houver incômodo, não haverá projeto, pois não há motivos para se buscar soluções. 
Por isso, na raiz de qualquer projeto estão os problemas que afetam um público ou segmento. E, como tentativa de resolver estes problemas, as pessoas têm ideias e soluções. O próximo passo então é transformar essas ideias em ações, fazendo acontecer na prática algo que mude a situação/problema que foi constatada. 
Outro ponto importante é que projetos tem tempo determinado, de 10 a 12 meses, às vezes um pouco mais, além de recursos pontuais para a sua execução. Portanto é preciso ser específico, pontual, objetivo e financeiramente viável. 
A realidade não é absoluta e nem imutável, portando está em constante transformação, o que buscamos com os projetos é que possamos transformar a realidade trazendo mais oportunidades, justiça, equidade e igualdade.